sexta-feira, 20 de setembro de 2013

E se a vida tropeçasse no destino?





Gil é um jovem de 20 anos que vive somente de música, cigarro, poesia e álcool. Órfão, foi criado pela tia Leila e o marido. Questionador, não contentava-se com o que via. Queria respostas. O seu eu era um mistério. O mundo era um mistério.

"Toda noite eu escuto um puta chiado no coração. Eu sei que é o som da chacina de tudo que se atreveu a habitar o meu peito nesse dia. Toda manhã, quando eu acordo, varias coisas novas nascem no meu ser. E eu sinto aqui dentro, uma confusa reciclagem, uma mistura de saudade do que eu fui ontem, com uma curiosidade do que eu sou hoje se esfregando na angustia do que eu me tornarei amanhã."

    Em uma das costumeiras noites em que o rapaz discute com o tio César, resolve sair de casa para esfriar a cabeça. Com apenas um violão, papel e caneta em mãos ele para numa espécie de bar em frente a praia. Ali, o som do mar ao fundo, começa a compor. É quando encontra Otávio, um produtor que acabara de ter uma briga feia com o companheiro. Juntos, tem uma noite que envolve música boa, álcool, mergulhos  e diálogos intensos na praia.

"- Cara, é bom te escutar, sabia? Finalmente alguém que...Porra! Tu sabe... Finalmente alguém que não faz com que eu me sinta sozinho.
- Tu ta sozinho, Gil.
- Não, hoje não!
- Gil, os outros vão e vem na nossa vida. Assim como as ondas vão e vem por esse mar. Elas vem e se desfazem assim como as pessoas que somem da nossa vida. Mas o mar, quanto mais profundo você for mais solitário, mais quieto, mais silencioso ele tá. Tem que ser imenso pra saber ser só."
    É quando Gil descobre, na prática, que aquele homem mudaria seu destino para sempre. Suas escolhas o levariam a caminhos que nunca imaginou seguir...
"É muito esquisito você encontrar felicidade justamente no lugar que você jurou que não iria".
   Sua paz, sua procurada paz estava bem a frente.
"É tão difícil você encontrar paz no peito de alguém e se sentir bem. Sinceramente, não me importa se é um peito de um homem, uma mulher ou da solidão."



Tão poético e intenso quanto posso descrever! Teus Olhos Meus é uma produção independente. Caio Sóh(diretor, produtor e roteirista) fez o filme com a ajuda de alguns amigos que aceitaram fazê-lo sem receber nada em troca. Uma obra que fala sobre o caos de quem almeja se encontrar, sobre amor, amargura, sobre descobertas, sobre mim, sobre você e um destino cruel. Pura arte, devo acrescentar. Não posso dizer que me surpreendi quando notei o envolvimento de Otávio e Gil prosseguindo, mas provavelmente é um choque para a maioria.  Na verdade, o que me chocou foram os dois últimos minutos da trama. Senhor, como aquilo me doeu! rsrs Sabe uma coisa linda? As filmagens de Otávio junto do primeiro amor. Otávio e a moça, Gil e Otávio. Ambos tão diferentes e, no fim, tão iguais. Confesso que há dias o vi e ainda não me "recuperei". O ser sonhador, a busca por respostas, as inocentes descobertas, o ser pequeno demais e querer tudo ou nada, crises existenciais, um misto de sentimentos, dúvidas, ideias, paranoias, confusões... Características do Gil tão minhas, tão tuas, tão de todos nós.
                                                                                                                                       Thay Oliveira
Aqui está o trailer:


12 comentários:

  1. Fiquei hiper curiosa!
    E estou procurando para ver ainda hoje...
    Amei a dica!

    Um beijo,
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei das quotes, aquela do oceano é a mais bonita.

    Quando eu tiver um tempo livre, vou ver se assisto o filme, gostei da historia dele.

    ResponderExcluir
  3. Que história intensa, cheia de diálogos complexos e verdadeiros... Fiquei entusiasmada para assistir.

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus, tão poético.
    Ou você escreveu muito bem sobre, ou ele é muito bom. Fui procurar. Não assisto muito a filmes brasileiros (porque não conheço muitos deles, a maioria que conheço são aqueles que aparecem na mídia e não são bons - péssima cinéfila, digamos.
    Eu gostei muito das frases dele também.
    http://doisquintos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é bem assim. A mídia quase nunca divulga produções desse tipo. Afinal, o que ganhariam em troca se não custou quase nada?

      Excluir
  5. O cinema brasileiro evolui muito.
    Ainda tem muita porcaria, mas os filmes bons estão superando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evoluiu mesmo, não tenho dúvidas. Mas existem muitos filmes antigos e nacionais que são ótimos. Não falo nem da qualidade da gravação, mas do enredo mesmo.

      Excluir
  6. Você descreve as coisas com uma excelência muito forte.
    Me senti mais que convidada a ler esse livro.
    Sem falar que a sensibilidade que você manifesta nos faz sentir talvez, quase a mesma sensação que você sente ao descrever a história.
    Muito bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, é um filme Hozana. Não há livro, rs. E obrigada, viu? Desde que comecei a escrever aqui, tenho me esforçado bastante para trazer coisas que agradem a maioria.

      Excluir
  7. Nossa deve ser ótimo!!
    "É muito esquisito você encontrar felicidade justamente no lugar que você jurou que não iria". Amei
    Beijos

    featglam.blogspot.com

    ResponderExcluir